Buscar
  • Livia de Oliveira

#Patroas da Semana: Leona e Diana

Há espaço para a Lua e o Sol no mesmo céu?


Oficializadas como casal canônico pela Riot Games neste mês, Leona e Diana iluminam uma à outra com a mais pura leveza que não me permitiria separá-las para o quadro Patroa da Semana desta semana. Assim, para este momento especial, inauguramos o primeiro Patroas da Semana, contando um pouco sobre suas histórias individuais que se convergem em um lindo conto de amor, tendo como base o conto divulgado pela Riot nesta última quinta-feira. Vamos lá?


Diana e Leona. Fonte: Riot Games


O templo povoado pelas Tribos do Último Sol, no Monte Targon, acabou sendo palco de nascimento de uma relação surgida da inocência e da rebeldia, iluminada por raios de luz prateada e dourada que demonstraram que não há nada de estranho nessa combinação.


Leona, cuja família sempre adorou à Deusa Solar, tinha o destino inexorável de se tornar uma guerreira sagrada dos Solari. De extremo talento combativo, devoção religiosa e talento em diversos aspectos, a jovem orgulhava a todos os acólitos do templo e era vista com admiração.


Enquanto isso, Diana, órfã trazida ao templo por caçadores que a encontraram aninhada nos corpos congelados de seus pais, fora obrigada a seguir uma doutrina rigorosa com a qual não concordava. Suas dúvidas eram vistas como grave indisciplina, mesmo que fosse pura curiosidade. Não entendia o porquê da tamanha censura em relação à Escuridão que, pouco a pouco, começava a fazer mais sentido para a garota do que a luz solar quente que parecia oprimi-la.


Porém, não eram exatamente todos que a tratavam mal. Os olhos castanhos de Leona observavam Diana com um carinho morno: calor este que pela primeira vez não a reprovava. A órfã queria aproximar-se da devota Solari, mas o receio de manchar a imagem de Leona a corroía por dentro. Será que um dia viriam a se encontrar?


Foi quando Leona enviou a ela uma carta inesperada pedindo para que a ajudasse com oratória. Inesperada para Diana apenas, pois Leona sempre admirara a retórica e determinação da garota vista como indócil por todos os outros. Assim, começaram a trocar correspondências e ideias, e sentimentos mais profundos emergiram aos poucos.


Diana, um dia, rompeu a barreira das cartas, incendiando com indagações uma fala que Leona apresentava em aula. Sua rebeldia a rendeu três dias de penitência sem água e sem sombra. Porém, com a pele avermelhada e sensível, Diana sorria. Ter tido a chance de conversar com Leona fazia tudo valer a pena.


Diana e Leona. Fonte: Riot Games


Paralelamente, o Festival da Véspera sem Noite aproximava-se e, com ele, a ansiedade de Leona ao pensar em como poderia convidar Diana para ser sua companhia. Em uma tentativa de fazer o convite, Diana a mal interpretou achando que apenas queria doutriná-la, acabando em uma forte discussão que resultou em castigo para as duas.


Porém, mais tarde, tudo fez sentido para Diana. Fora do templo e reflexiva sob a luz prateada da noite, a jovem até ensaiou uma pequena prece à Deusa Solar. Parecia ilusão, mas neste mesmo momento ouviu Leona entoar seu nome, chegando ao seu encontro no estranho local distante do Festival.


Sentadas lado a lado, iluminadas pela luz prateada, não mais importava se o Sol oferecia luz para a Lua ou vice-versa. Aquele canto podia não ser o céu, mas havia espaço suficiente para ambas brilharem, sem qualquer julgamento. Leona e Diana enfim puderam desfrutar da companhia uma da outra, neste momento poético fruto do crepúsculo e da alvorada.


Diana e Leona. Fonte: Riot Games


Se ficou na curiosidade para ler as cartas trocadas por ambas e mais detalhes sobre a noite do Festival, confira o conto oficial Ascenda Comigo, escrito por Dana Luery Shaw.


Nosso então mais recém-canonizado e querido casal sáfico pode estar separado na lore atual do jogo, mas isso nos dá mais forças ainda para shippar e fazer apelos à Riot para trazer mais conteúdo dessas duas mulheres incríveis! Espero que tenham gostado. <3










47 visualizações0 comentário