Buscar
  • Clara "Lynn" Abrahão

#PatroaDaSemana: Mei!



A #PatroaDaSemana da vez é uma personagem que gera certa polêmica no universo de Overwatch: amada por alguns e odiada pela maioria, nós não poderíamos deixar de exaltar a nossa demônia favorita: Mei! Apesar de ela ser sim um tremendo incômodo quando bem utilizada nas partidas, a climatologista chinesa tem uma história maravilhosa e é sobre ela que iremos falar hoje.


Mei-Ling Zhou é uma cientista que se preocupa com o meio ambiente acima de tudo. Com uma inteligência sem igual e esforços incansáveis para proteger o mundo com suas próprias mãos, ela foi a pioneira em uma série de invenções para auxiliar na preservação ambiental e foi graças a isso que ela se filiou à Overwatch, que tinha uma iniciativa multifacetada de observatórios ecológicos nos locais remotos mais críticos pelo mundo. Afinal, cada vez mais o globo sofria com mudanças climáticas causadas por diversos fatores: as novas tecnologias, o crescimento absurdo da população ômnica e o aumento drástico do consumo de recursos naturais. Houve um desbalanceamento total no que se tinha de biodiversidade e essa foi a solução rápida que a Overwatch tinha para “resolver” o problema.


Mei foi designada à estação do programa de monitoramento no Observatório: Antártica. E neste cenário caótico de desequilíbrio climático, o pior aconteceu: uma tempestade catastrófica assolou o Observatório, deixando a equipe sem suprimentos, rações e janela de abastecimento, portanto foi decidido que eles deveriam entrar em sono criogênico até que uma equipe de resgate enviasse ajuda.


O problema começa quando Mei acorda e encontra todos os seus companheiros… mortos. A “soneca” que deveriam ter tirado, na verdade, transformou-se em nove anos de sono criogênico - para ela, pelo menos, já que algo deu errado e seus amigos não tiveram essa sorte. A equipe de resgate nunca chegou e a Overwatch havia se dissolvido durante este tempo. O mundo que ela conhecia literalmente não existia mais e ela precisava lidar com uma nova realidade que a inundava sem que ela sequer pudesse refletir sobre. Os companheiros eram apenas corpos, ela não tinha comunicação nenhuma com o mundo exterior, estava sozinha em meio à neve com as baterias do Observatório chegando ao seu fim.



E o que é mais cativante sobre a heroína? Sua força de vontade. Acompanhada apenas de Bola de Neve, seu mascote, em meio ao nada, com todos os motivos do mundo para desistir, ela simplesmente decide ir em frente porque é isso que ela sabe fazer. Para orgulhar os companheiros perdidos, ela decide usar os nove anos de dados adquiridos para ajudar o mundo com as próprias mãos e é exatamente isso que ela faz, utilizando os artifícios que conseguia encontrar pelo Observatório em ruínas. Desta forma, dá vida ao seu Aniquilador Endotérmico pela primeira vez, arma que a acompanha durante o jogo, e consegue chegar até o topo da torre de comunicação para receber a mensagem de Winston.


Ela não podia desistir.



Mei nos ensina que não é necessário estar dentro de um "padrão" para ser memorável - ela é seu próprio padrão e isso por si só já é extraordinário. Inteligente, carismática, habilidosa e inspiradora, Mei inovou em tecnologias para a ciência e sempre colocou seu amor pelo mundo em primeiro lugar. Afinal, o mundo sempre precisa de novos heróis. E ela nos mostra que nas situações mais adversas da vida, há sim uma saída. Mesmo que tudo pareça perdido, que todos os planos tenham sido soterrados por uma tempestade de neve, há uma maneira de seguirmos em frente.


Porque é isso que sabemos fazer.



"Rise and shine, Snowball!"





32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo