Buscar
  • Dana Guedes

LDG Indica: The Dark Pictures Anthology – Terror para quem gosta de boas histórias


Com o recente anúncio da data de lançamento de “House of Ashes”, o terceiro capítulo da série “The Dark Pictures Anthology”, rolou uma coceira forte para falar desse maravilhoso game por aqui, um prato cheio para quem gosta de levar uns sustos, mas não abre mão de uma narrativa de primeira.


Desenvolvido pela Supermassive, a mesma do aclamado “Until Dawn”, a antologia já tem dois capítulos de sucesso: Men of Medan e Little Hope, dos quais a gente vai falar agora :) E não se preocupe, porque não haverá spoilers!

Gênero: Terror, Narrativa, Interativo, Survival


Preço: A edição especial com os dois capítulos juntos sai de R$240 (Steam) a R$264,90 (PSN), mas você também pode adquirir os jogos separados por uma média de R$150.


Avaliação: Man of Medan: 7/10 na Steam, 75 no Metacritic Little Hope: 7/10 na Steam, 8/10 GamesRadar

Sinopse: “The Dark Pictures Anthology” é uma série de games de narrativa de terror em que cada capítulo é uma história fechada com seus próprios personagens, começo, meio e fim.


Em “Man of Medan”, acompanhamos a jornada de um grupo de mergulhadores que pensava estar explorando os restos de um avião de guerra naufragado, mas acaba virando prisioneiro em um misterioso navio fantasma.


Já em “Little Hope”, os personagens ficam presos em uma cidadezinha sinistra, cujo passado sangrento de caça às bruxas se mistura com seus próprios segredos.

Resenha: A primeira coisa importante a saber sobre a antologia Dark Pictures é que são games 100% focados em narrativa, onde as suas escolhas vão fazer toda a diferença no rumo da história. Existem várias possibilidades de rotas e finais de acordo com os relacionamentos que você decidir desenvolver ou não, com a capacidade que você tem de cumprir as combinações de comandos corretamente e – claro – com o seu alinhamento moral na hora de decidir quais caminhos deseja seguir.


Isso por si só já traz todo um peso diferente, uma tensão a mais para a história, já que depende de você – e só você – se os personagens irão viver ou morrer.

Seguindo a ordem dos lançamentos, “Man of Medan” é o primeiro capítulo da antologia e também foi o primeiro que eu joguei. Logo de cara conhecemos o Narrador, que, meio suspeito, vai acompanhar a história com você e fazer comentários durante algumas pausas. Atuando como uma espécie de elo entre as histórias, é o narrador quem te apresenta os eventos em “Little Hope” também.


De volta à história, em “Man of Medan” logo conhecemos o grupo de protagonistas: O casal Alex e Julia; o irmão de Alex, Brad; o irmão de Julia, Conrad; e Fliss, a capitã do barco que vai levar o grupo de mergulhadores para um passeio no oceano. A dinâmica entre os personagens também já fica muito clara e percebemos que eles não estão exatamente fazendo uma atividade legal ao tentar explorar o avião de guerra naufragado.

Por ter partes embaixo d’água, o clima do jogo fica ainda mais tenso, porque você não sabe se o personagem pode morrer por ameaças sobrenaturais ou falta de oxigênio no tanque. Sem entrar em spoilers, quando o cenário muda para o navio fantasma, a falta de noção de tempo e a mistura de passado e presente também deixa a experiência ainda mais intensa. Vale dizer que a lenda de "Man of Medan" é inspirada em fatos reais, uuuuuhhhhh.


No começo, eu fiquei um pouco com o pé atrás em comprar o jogo, porque ele é realmente curto – talvez 3 ou 4 horas de gameplay? Mas depois de jogar, vi que esse atributo pode ser uma vantagem, já que não se torna cansativo começar de novo e tentar rotas diferentes para desvendar outros enigmas que ficam para trás em uma zerada só.

O segundo capítulo “Little Hope” já se alinha mais com jogos de narrativa convencionais, com uma gameplay mais longa e com as escolhas do player causando um impacto ainda mais marcante no desenvolvimento da história. A jogabilidade também ganha um upgrade entre o “Until Dawn”, o “Man of Medan” e esse, e é o meu favorito de todos nesse sentido.


Na história, a gente acompanha um ônibus com quatro estudantes, que acaba sofrendo um acidente e tem uma parada forçada na sinistra cidadezinha de Little Hope. Ao explorar o local para procurar ajuda – e um telefone que funcionasse – os personagens começam a ser assombrados com visões e com flashbacks de um passado remoto, quando o local foi palco da Inquisição contra as bruxas.

Todo o enredo em si é muito bom, mas o plot twist do final é realmente de tirar o chapéu. Também há seis possibilidades de finais diferentes, além de duas cenas extras depois dos créditos. Outra curiosidade legal é que o protagonista Andrew é interpretado pelo Will Pouter, famoso por seus papeis em “Maze Runner”, “O Regresso”, o terror “Midsommar” e o episódio interativo de Black Mirror “Bandersnatch” :)


Quanto tempo demora para zerar: Como citei anteriormente, “Man of Medan” é bem curto, dá para terminar em uma sentada de 3 ou 4 horas. “Little Hope” é um pouco maior, mesmo assim deve durar umas 6 horas no máximo.


Você vai gostar desse jogo se gostar de: Until Dawn, séries de antologia como Black Mirror, The Twilight Zone e “A Maldição de” (Residência Hill e Mansão Bly).


Vale dizer que o próximo capítulo “House of Ashes” vai abordar a descoberta de uma caverna desconhecida de uma civilização antiga e, pelo trailer, já podemos ver uma estátua do rei dos demônios sumérios Pazuzu – o mesmo capiroto da franquia “O Exorcista”. Quem já estamos animados? o/


E se você curtiu nossa seção e gostaria de ver um game especial por aqui, pode mandar sugestões com a hashtag #LDGIndica nas principais redes sociais!


27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo